Testemunho de Pedro Marques, Violetista da JOP

Através do programa MusXchange Pedro Marques (na foto com gravata azul) esteve com a JONDE – Joven Orquesta Nacional de España, entre os dias 4 e 18 de Janeiro. Aqui fica o seu testemunho.

“O meu nome é Pedro Marques, sou violetista, e fui convidado a integrar um encontro da JONDE, em Espanha, nas cidades Zagaroza, Valladolid, e Madrid. Neste encontro tive o prazer de fazer parte de uma orquestra de muito alto nível, de conviver com pessoas cujas ambições não diferem radicalmente das minhas, e de aprofundar a minha compreensão do que é, de facto, tocar em orquestra, trabalhar neste ambiente, e construir relações de raiz.

Neste período de tempo houve vários aspetos que se destacaram pela diferença do meio do qual venho. Algo que me surpreendeu foi a forma como o processo de acolhimento aos estudantes de intercâmbio se deu. Inicialmente o contacto não excedia o necessário ao bom funcionamento como colegas. Contudo, ao fim de poucos dias, já me tinham “anexado” ao grupo social que é a orquestra. Na JONDE é evidente que todos se encaram como iguais, todos se auto propõem a ser os impulsionadores uns dos outros, e todos partilham o amor à música de braço dado e costas com costas independentemente do contexto em que nos encontramos em qualquer momento. Esta agradável surpresa foi ainda mais abismada por tomar conhecimento de que os membros da orquestra não são fixos (na lista da JONDE constam cerca de 70 violinos, 30 violas, etc…) e, ainda assim, eles zelam uns pelos outros e dão-se uns aos outros com a disponibilidade de velhos amigos. Um último aspeto que mudou o modo como encaro desafios agora foi verificar que na JONDE há muitos músicos com futuros já bastante promissores e já em vias de concretização e, sobretudo não existir o dogma “aqueles que alcançam sucesso são apenas os que passam mais tempo a estudar que qualquer outra coisa”, forma de olhar platónica que, infelizmente, vai estando subentendida dentro de grande parte da juventude musical portuguesa com quem eu convivo. Verifiquei que em Espanha não só este não existe, como também eles se entreajudam e se encorajam nesta empresa.

…dei mais um passo importante no meu percurso como aprendiz de músico, e, sinto ter também recebido mais impressões sobre como me melhorar a mim mesmo como ser humano para mim e para os que me rodeiam. Estou esperançoso que mais projetos como este que em tudo contribui para a formação e o crescimento dos integrantes comecem a ganhar cada vez mais e mais relevo, porque só investindo nestas experiências é possível criar pessoas mais sensíveis, solidárias e fraternas. Um grande agradecimento à JOP pela oportunidade!”