Projeto Novos Horizontes

Image

Com o Projeto Novos Horizontes a OCPsolidária no Bairro do Navegadores, a nossa associação pretende desenvolver uma atividade de divulgação da cultura musical assente na cidadania ativa, através da implementação de projetos inovadores e pioneiros de responsabilidade pedagógica, como forma de integração social de jovens através da música.

O projeto Novos Horizontes a OCPsolidária no Bairro dos Navegadores, iniciou a sua atividade em Janeiro de 2019 e pretende fomentar uma relação duradoura com o Município de Oeiras com o objetivo de instituir um ensemble musical ao serviço do Bairro dos Navegadores.  As aulas do projeto Novos Horizontes a OCPsolidária no Bairro dos Navegadores iniciaram-se em janeiro, após as ações de captação realizadas entre setembro e dezembro de 2018.

O projeto Novos Horizontes visa promover o acesso à música e à arte enquanto ferramentas para o estabelecimento de laços com a comunidade artística, com objetivos de intervenção em contextos de risco e de inclusão social dos seus participantes. Os formadores são artistas/músicos profissionais e pedagogos com experiência única no contacto com populações de risco com pouco acesso à cultura. A estratégia dos formadores passa pelo estabelecimento de relações de proximidade com a população alvo com base em metodologias criativas e de responsabilização do sujeito.

O projeto OCPsolidária no Bairro dos Navegadores pretende potenciar as capacidades de cada participante, promovendo o acesso à cultura e a integração na sociedade, desenvolvendo a autonomia e a igualdade de oportunidades, criando laços culturais que evitam a discriminação e a exclusão social, através de Sessões semanais (exclusivamente dedicadas à música) e Oficinas mensais (ou estágios) complementares. As atividades que integram o projeto devem ser frequentadas por residentes no território a abranger para este efeito:

• Alunos das escolas básicas e secundárias com idades compreendidas entre os seis e os dezassete anos de idade, nomeadamente, Escola Porto Salvo (Avenida Santa Casa da Misericórdia, Porto Salvo – Oeiras), Escola Pedro Álvares Cabral (Rua Gaspar Corte Real, 5 – Oeiras) e Escola Secundária Aquilino Ribeiro (Avenida Domingos Vandelli, 75 2740-123 Porto Salvo – Oeiras);

• Inclusão de jovens adultos que necessitem orientação profissional;

• Bolsas para alunos problemáticos do bairro;

• Adultos e idosos que morem vontade de participar neste tipo de atividade.

Metodologias:

A música é uma arte e uma ciência, estes dois elementos contribuem para a evolução do ser humano. A música é uma forma de expressão universal e uma necessidade de uma reflexão e maior mobilização sobre o sistema no qual a educação musical está inserida para que se possa dizer “a música é para todos” é um dos maiores fundamentos da Orquestra de Câmara Portuguesa Associação Musical, que enquanto instituição de Utilidade Pública, promove a música na sua manifestação por profissionais, mas particularmente, numa perspetiva educativa, de desafios e possibilidades, para a construção de uma sociedade inclusiva. Acesso à cultura erudita, tão necessária para o desenvolvimento cognitivo e emocional, e com evidente impacto na sociedade Portuguesa. As metodologias e estratégias de transmissão dos conceitos musicais são diferenciados consoante o grupo ou a faixa etária.

Este projeto pretende assim assumir como metodologias:

(1) a possibilidade de aprendizagem dos conceitos musicais específicos, como a aprendizagem das notas da pauta, o ritmo ou as dinâmicas;

(2) A improvisação como ferramenta de liberdade criativa, como expressão rápida das ideias, como comunicação, como meio de educação do ouvido e da escuta ativa.

(3) Devido à grande abrangência de idades do projeto, os músicos da orquestra, de forma a também cativar e ser apelativo sobretudo para os adolescentes, vão ao encontro dos seus gostos musicais colocando no seio das aulas e transformando-os em conteúdos enriquecidos pelo conhecimento. Os conteúdos e metodologias utilizados nas oficinas mensais são pensados para abrir os horizontes artísticos dos participantes e continuarão a ter conteúdos sempre diversificados como são exemplos as oficinas realizadas nos passados 6 meses:

(4) Ensino especializado de instrumento – formação longo prazo (6 a 8anos de estudo);

(5) Consciência global das famílias dos instrumentos;

(6) Trabalho de grupo – ensemble – formação cívica, ética e social;

(7) Trabalho individual – Trabalho a curto prazo;

(8) Experiências multidisciplinares artísticas e técnicas – Oficinas complementares.