Tertúlias JOP – Koyaanisqatsi – Projeção de Filme + Debate

20 de julho de 2020 | 20H | Sede da OCP

Koyaanisqatsi, também conhecido como Koyaanisqatsi: Life Out of Balance, é um filme de 1982 dirigido por Godfrey Reggio com música de Philip Glass e cinematografia de Ron Fricke.

O filme consiste primariamente de imagens de arquivos em câmera lenta e em time-lapse, mostrando cidades e muitas paisagens naturais dos Estados Unidos. Com o visual de poema sinfônico, o filme não contém nenhum diálogo ou narração; o seu tom é estabelecido pela justaposição de imagens e música.

Reggio explica a falta de diálogo dizendo, “Não é por falta de amor à linguagem que estes filmes não têm palavras. É porque, do meu ponto de vista, nossa linguagem está em um estado de vasta humilhação. Não descreve mais o mundo em que vivemos”.

Na língua Hopi (nação indígena dos EUA) , Koyaanisqatsi significa “vida em desequilíbrio, em desintegração, um grito de socorro por uma alternativa, uma mudança de rumo.

O filme é o primeiro da trilogia Qatsi: foi seguido por Powaqqatsi (1988) e Naqoyqatsi (2002). A trilogia mostra diferentes aspectos das relações entre humanos, natureza e tecnologia. Koyaanisqatsi é o mais conhecido dos três e é considerado um filme culto.

Em 2000, Koyaanisqatsi foi selecionado para preservação pelo National Film Registry da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos como sendo “culturalmente, historicamente, ou esteticamente significante”.

Fazendo uma análise da evolução do homem na terra, desde os primórdios da existência – ainda na Pré-História – até a atualidade, a pergunta que fica é a seguinte: para onde a evolução irá conduzir o ser humano?

Koyaanisqatsi é como uma síntese da existência do mundo, desde quando o homem era apenas um elementar ser vivo, quando não havia preocupação ou ganância da conquista de territórios, distante da ambição material e da mesquinhez que resultou no caos que vemos atualmente. Não se trata de uma crítica à evolução tecnológica, mas um alerta sobre o destino da humanidade.