Comunicado de Imprensa – Jovem Orquestra Portuguesa @ Young Euro Classic 2022

Lisboa, 5 de julho de 2022

Em agosto, dentro do âmbito do “Encontro de Verão Jovem Orquestra Portuguesa (JOP)”, que vai decorrer de 25 de julho a 9 de agosto na Sede da Orquestra de Câmara Portuguesa (OCP), em Algés, o Maestro Pedro Carneiro volta a dirigir a orquestra no regresso ao festival internacional “Young Euro Classic” (Konzerthaus, Berlim, Alemanha). No dia 9 de agosto a JOP, apresenta-se, às 20H00, pela quarta vez no mais importante festival de jovens orquestras e talentos da música clássica, sendo a única orquestra que representa Portugal.

A JOP assume-se como a seleção nacional de jovens músicos portugueses, entre os 14 e os 24 anos, sem distinção da origem académica ou capacidade financeira, escolhidos em audições nacionais anuais, cujas internacionalizações já somam dois prémios do European Composer Music Award, em 2017 (Mariana Vieira) e em 2019 (João Godinho). Este prémio é concedido em reconhecimento da melhor estreia mundial, pela organização do Festival Young Euro Classic.

A curiosidade e a inovação são as palavras de ordem da JOP, razão pela qual apresenta mais uma estreia da jovem compositora portuguesa Marta Domingues, "How to Plant a Sound", com a participação dos jovens da Orquestra dos Navegadores (ON) - Município de Oeiras como solistas.

Nota do Festival

A Jovem Orquestra Portuguesa (JOP) é um nome que ressoa junto do público do Festival Young Euro Classic. Não só pelas inúmeras qualidades dos jovens músicos, mas também porque os programas escolhidos pelo Maestro Pedro Carneiro são sempre bem pensados e intrigantes. O tema deste programa é “Início – Criação – Desenvolvimento – Fim”. Em termos musicais, isto significa que os músicos portugueses começam com a grandiosa abertura do oratório “A Criação” de Haydn, descrevendo o caos antes dos atos de criação de Deus, seguindo-se uma peça inédita da compositora Marta Domingues, de 22 anos, que responde a Haydn e apresenta como solistas vários jovens da Orquestra dos Navegadores (ON), um dos projetos sociais e inclusivos da Orquestra de Câmara Portuguesa. A jovem orquestra progride finalmente para a 9ª Sinfonia de Anton Bruckner – a sua última obra inacabada que é, nada mais, nada menos, que o seu testamento musical.

- Young Euro Classic




Informação sobre o concerto


Data: 9 de agosto de 2022
Hora: 20H00
Local: Konzerthaus Berlin - Gendarmenmarkt, 10117 Berlim, Alemanha

Intervenientes:

Jovem Orquestra Portuguesa (JOP)
Pedro Carneiro, direção
Orquestra dos Navegadores (ON) – Oeiras

Programa:

Joseph Haydn
“A Representação do Caos” de “A Criação”  (1796-98)

Marta Domingues
How to Plant a Sound (estreia absoluta)

Anton Bruckner
Sinfonia Nr 9 em Ré menor (1887-96)

Bilhetes:
https://young-euro-classic.de/en/event/jovem-orquestra-portuguesa-2022/




Jovem Orquestra Portuguesa


A JOP é a única orquestra que representa Portugal no maior festival de jovens orquestras do mundo.

A JOP assume-se como a seleção nacional de jovens músicos portugueses, entre os 14 e os 24 anos, sem distinção da origem académica ou capacidade financeira, escolhidos em audições nacionais anuais.

Como representante de Portugal na European Federation of National Youth Orchestras (EFNYO), plataforma que reúne as jovens orquestras europeias e de diversos partes do mundo, a JOP tem um papel único como embaixadora da cultura musical nacional e da excelência da juventude portuguesa, na Europa e no Mundo. No seio da EFNYO, os músicos da JOP usufruem do programa de intercâmbio MusXchange, que dá acesso aos encontros Internacionais de jovens orquestras congéneres, tendo já participado em estágios na Áustria, Eslováquia, Espanha, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Países Baixos, Reino Unido e Roménia.

Desde a sua admissão por unanimidade, na EFNYO, como membro associado em 2013, e posteriormente como membro efetivo em 2015, que a excelência do seu desempenho artístico e o reconhecimento da sua capacidade organizativa tem levado a JOP a atuações sucessivas nos principais festivais europeus de jovens orquestras.

Destes festivais, destacam-se o Young Euro Classic, em Berlim, o maior Festival de Música do Mundo de Jovens Orquestras, onde a JOP levou obras inéditas de jovens compositores, Mariana Vieira (2017) e João Godinho (2019), premiadas com o European Composer Music Award. Obras encomendadas pela JOP, e preparadas sob a direção de Pedro Carneiro.

A JOP é muito mais do que uma jovem orquestra. Os seus músicos têm acesso a todo um programa formativo informal, que vai muito para lá do trabalho orquestral. As sessões de Consciência Corporal dão início a cada dia de ensaios, enquanto momento de trabalho básico para a expressividade física, e, especialmente, profilático das lesões dos músicos. As Tertúlias Jopianas constituem momentos de debate e conhecimento com convidados das mais diversas áreas: cidadania, desporto, música e outras expressões artísticas, política e religião.

O trabalho formativo formal, é naturalmente a pedra de toque dos Encontros da JOP. Os Encontros podem ser sinfónicos ou em formato clássico, designando-se habitualmente por Encontros de Natal, Ano Novo, Páscoa e verão. A que se junta a Internacionalização e os encontros com formações mais reduzidas, como é o caso dos Encontros Barroco e Contemporâneo.

As Audições Nacionais Anuais realizam-se no Norte, Centro e Sul. A inclusão nas audições presenciais dos candidatos dos arquipélagos dos Acores e da Madeira poderá́ ser um dos próximos passos importantes, pois que virão a ter acesso às audições via plataformas online.

A JOP tem um programa de bolsas individuais de apoio financeiro, de modo a assegurar a igualdade de oportunidades no acesso às suas atividades. Estas bolsas têm vigência durante toda a Temporada (1 ano). As bolsas são atribuídas com base na análise da situação económica e familiar do candidato.

Os membros da JOP podem candidatar-se às bolsas de Monitor JOP, que foram criadas com o objetivo de proporcionar aos jovens uma experiência mais abrangente através da participação em tarefas de organização e produção durante as atividades da JOP.

Ao fim de mais de uma década de atividade, verificamos que os Alumni da JOP, agora profissionais, estão já a integrar algumas das melhores Orquestras Europeias.

Foto HR:
t.ly/7eip




Pedro Carneiro


Cofundador, diretor artístico e maestro titular da Orquestra de Câmara Portuguesa (OCP) e da Jovem Orquestra Portuguesa (JOP, membro da EFNYO).

Foi bolseiro da Fundação Gulbenkian na Guildhall School of Music and Drama, onde terminou a sua licenciatura com a distinção «Head of Department Award».Tocou, em estreia absoluta, mais de uma centena de obras, e trabalha regularmente com celebrados instrumentistas, orquestras e compositores. Colaborou ainda com prestigiados instrumentistas e compositores, como os Quartetos Tokyo, Shanghai, Chilingirian, New Zealand e Latinoamericano. Compõe para teatro, dança e cinema. Da sua extensa discografia, destaca-se a monografia de Xenákis (2004) e dois discos concertantes no selo germânico ECM (New Series). Premiado no Prémio Jovens Músicos, incluindo Prémio Maestro Silva Pereira (1997); Park Lane Young Artists Auditions (1998) e Prémio da Hattori Foundation for Young Musicians (2001), ambos em Londres; Medalha de Honra da Cidade de Setúbal (2011); Prémio Gulbenkian Arte (2011) e Nomeado Prémio Autores 2016, da Sociedade Portuguesa de Autores, para Melhor Trabalho de Música Erudita, pelo concerto na Konzerthaus em Berlim com a Jovem Orquestra Portuguesa. 

A sua extensa discografia (que inclui registos a solo, música de câmara, obras concertantes e improvisação) está disponível em diversas etiquetas discográficas, como a ECM Records, Zig-Zag Territoires, Rattle, Clean Feed, entre outras.

Foto HR:
t.ly/bWc5




Marta Domingues


Licenciada em Composição na Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou com Carlos Caires, Carlos Marecos e Jaime Reis, atual orientador, juntamente com Annette Vande Gorne, do seu mestrado em Composição na mesma instituição.

Colabora na organização do Festival DME e Lisboa Incomum desde 2020.

A sua música tem sido apresentada em contextos como: DME / Lisboa Incomum, Música Viva/ Oculto d’Ajuda, Aveiro Síntese, BoCA – Biennal of Contemporary Arts/ Teatro São Carlos, Sonorities Belfast, Espace du Son (Bruxelas), International Confederation of Electroacoustic Music e Monaco Electroacoustique.

Recebeu o primeiro prémio Jovens Criadores 2017, na secção musical, com o grupo FEME-EMSCAN e foi-lhe atribuída uma menção honrosa no concurso Métamorphoses 2020 (Bélgica).

A sua música está publicada pela Influx/ Musiques et Recherches (Bélgica) e edições DME/Lisboa Incomum.

Foto HR:
t.ly/-GYf




Orquestra dos Navegadores (ON)


A Orquestra dos Navegadores (ON) - Oeiras, foi implementada para difundir e desenvolver a cultura musical baseada na cidadania ativa.

Através da implementação de projetos inovadores e pioneiros de responsabilidade pedagógica, promove-se a integração social de jovens através da música. A Orquestra ON ajuda a combater a marginalidade através do estudo da música e da prática de instrumentos. A convicção da Orquestra de Câmara Portuguesa (OCP)  é de que a música é uma ferramenta poderosa para construir uma sociedade melhor e mais inclusiva, ao abrir horizontes de desenvolvimento pessoal a crianças em situação de risco e de famílias em situação de vulnerabilidade. Esta intervenção precoce, em crianças que se encontram em situação de risco, favorece a sua inclusão social, reduz as vulnerabilidades sociais e previne o insucesso e o abandono escolar precoce.

Ao promover o acesso à música e à arte, estabelecem-se laços entre os criadores artísticos e estes alunos com idades compreendidas entre os 6 e os 10 anos.

Foto HR:
t.ly/ai0z